07/02/2008

0

Meus Poemas-02.



Meus Poemas-02.
0

A MINHA ROSEIRA.

A minha roseira tem rosas,
Desfolhadas pelo vento,
Seus beijos são como prosas,
Que versejam com o tempo.

A neve que sobre si vem,
É firmeza na sua vida,
Amor que sempre tem,
Quando p’los ventos sacudida.

As rosas da minha roseira,
Desfolhadas pelo vento,
São versos à minha maneira,
Que versejam com o tempo.
Por: António Jesus Batalha.

BOTÃO DE ROSA.

O nascente que fluiu,
Do meu botão de rosa,
Vai crescendo, Como um rio,
Ou uma árvore, Tão formosa,
Cresce, Encanta, Por encanto,
Flor santa, O nascente que fluiu,
Do meu botão de rosa.
Por:António Jesus Batalha.

0

A ALEGRIA.

Quero para mim esta alegria,
Como provar sabores numa festa,
Quero para mim esta alegria.
De ver nascer o sol a cada dia.
Saindo fora de toda a melancolia,
Duplicar a esperança que me resta.

Quero fora toda a tristeza.
Não esquecer por um minuto,
Quero fora toda a incerteza.
Não esquecer; mas ter a certeza,
De dar graças; pelo pão na minha mesa,
Ser sincero, real absoluto.
Por:António Jesus Batalha.


A Verdade Em Poesia, António Batalha, Bíblia Sagrada, Ciência, Desporto, Deus,Jesus Cristo,

A Verdade Em Poesia, António Batalha, Bíblia Sagrada, Ciência, Desporto, Deus,Jesus Cristo,

Sem comentários:

Enviar um comentário


se gostou deixe a sua openião
Obrigado!!!